Páginas

31 de agosto de 2011

New Old Room.


 Composição com os chapéus, já que não tinha lugar para guardar, pendurei na parede.
 O gato Timótio

 O Amor-Perfeito quase abrindo
 O canto de estudo/trabalho
 A fada
 A prateleira de nichos de chão que agora virou de parede.
 Alguns livros
 Minha mini Panton de estimação
 Quadros 'Quatro Estações' que pintei em 2006
Algumas mudanças básicas que fiz no meu quarto esses dias! O quarto é 'quase' outro e não gastei nem 50 reais. Adorei tudo que mudei! :D

Françoise Hardy.














 Por hoje somente fotos!

28 de agosto de 2011

Under the Tuscan Sun.

Preciso começar dizendo que este filme só aumentou minha vontade de ir pra Toscana Italiana e viver um monte de coisas que idealizo e sonho em fazer. Tipo ficar horas olhando os montes verdes ao sol, deitar na grama e sentir a brisa (não que eu não faça isso aqui, mas quero fazer isso lá).
O filme é bem daquele tipo que gosto, romantico, paisagens maravilhosas (vale assistir só pelas paisagens), e a história cheia de altos e baixos que mulherzinhas e homenzinhos gostam (meu amor pelo menos gosta comigo). O filme foi dirigido por Audrey Wells e a história é baseada no livro da autora Frances Mayes (nome da 'personagem' principal).
A Toscana já faz parte da lista dos meus destinos há tempos e faz bem de vez em quando assistir uns filmes assim para relembrar a vontade e manter ela sempre acesa.







Before Sunrise / Sunset

Um dos mais singelos filmes que já assisti. A fotografia é linda, a história é interessante, romântica e foge do clichê de paixões européias. Os lugares por onde eles pisam, as conversas e filosofias são gostosas de se ver e ouvir. O filme é dirigido por Richard Linklater e escrito por Kim Krizan e Linklater.
Celine (francesa) e Jesse (americano) se conhecem meio sem querer  (1995) em um trem na qual a próxima parada é Viena e decidem passarem o dia juntos na cidade até a hora de ele voltar para a cara, que no caso é no outro dia pela manhã. Eles passam esse tempo juntos conversando e se conhecendo de maneira que faz até nós expectadores se apaixonarem. Quando chega a hora de eles voltarem para a casa, eles decidem não trocar nenhum contato e combinam de se encontrar na mesma estação depois de 6 meses. Enfim, não vou entrar em detalhes por que senão acaba perdendo a graça, ainda tem o filme dois para falar.


Before Sunrise

Como Celine não foi ao encontro marcado depois de 6 meses os dois se reencontram sem querer em Paris, quando Jesse lança um livro que ele escreve exatamente falando sobre a tal noite romântica em Viena 9 anos depois. Eles passam uma tarde relembrando a paixão interrompida que os dois viveram em 1995 e contando sobre o que se passou durante a vida deles neste período de 9 anos que eles 'se perderam'.




  Before Sunset



25 de agosto de 2011

Insônia.

Uma mania de ser humano nessa vida, é sempre tentar sem maior, melhor, mais famoso, mais importante, mais, mais e mais um monte de coisa que inflam o ego até lá em cima, nos enganando de que somos mais matéria do que espírito e de é mais importante o nosso status na socidade do que a realização interna propriamente dita. Pois é aí que está o problema que tanto nos impede de ser feliz. A preocupação em sempre ser mais aqui fora do que melhor dentro de nós mesmos, nos atrasa, nos segura na escuridão da ilusão e sim, em muitos momentos nós achamos que somos 'mais', geralmente nos enganamos sobre isso muitos anos de nossa vida, alguns até morrem sem nunca terem descoberto a verdade. Mas ainda bem que eu acredito que essa vida é apenas uma passagem temporária de aprendizado e é justamente para isso que eu vivo, para aprender. Não esse aprendizado acadêmico, onde passamos nossa vida inteira praticamente mais nas escolas do que em nossas próprias casas e aprendendo o que nos acham certo ensinar, mas digo daquele aprendizado do cotidiano, de uma cena sublime na rua, de uma simples SIMPLES palavra, uma atitude mínima de cortesia ou mesmo de arrogância. Sim, é a vida que nos ensina e desse fato ninguém pode fugir. E eu amo deliciosamente quando a vida se encarrega de me ensinar, me sinto viva, me sinto algo além da matéria, me sinto fazendo parte de todo esse mistério que eu secretamente admiro e cultivo. Agradeço a vida pelos aprendizados sofredoramente proporcionados, pelos aprendizados maravilhosamente aprendidos e pelos milhões de aprendizados que estão por vir. Isso tudo alimenta meu espírito de vida, de força e de paixão para continuar uma caminhada longa que ainda está no seu começo.

Um sopro de vida.


'Eu adivinho coisas que não têm nome e que tal­vez nunca terão. É. Eu sinto o que me será sempre inacessível. É. Mas eu sei tudo. Tudo o que sei sem propriamente saber não tem sinônimo no mundo da fala mas me enriquece e me justifica. Embora a pala­vra eu a perdi porque tentei falá-la. E saber-tudo-sem saber é um perpétuo esquecimento que vem e vai como as ondas do mar que avançam e recuam na areia da praia. Civilizar minha vida é expulsar-me de mim. Ci­vilizar minha existência a mais profunda seria tentar expulsar a minha natureza e a supernatureza. Tudo isso no entanto não fala de meu possível significado. O que me mata é o cotidiano. Eu queria só ex­ceções. Estou perdida: eu não tenho hábitos.'

Um sopro de vida - Clarice Lispector

O VIGIADOR

'Sim, já vi inúmeras coisas neste mundo. Freqüento as piores desgraças e
trabalho para os piores vilões.
Mas, por outro lado, existem outros momentos.
Há uma multidão de histórias (um mero punhado, como sugeri antes) que
permito que me distraiam enquanto trabalho, assim como as cores. Eu as apanho
nos lugares mais azarados, mais improváveis, e me certifico de recordá-las
enquanto executo meu trabalho.'

A menina que roubava livros.

22 de agosto de 2011

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...